28 março 2007

Pensamento...


Para o ímpeto pensante
Que afora julga condizente
Com a força resultante
De maneira imprudente
Há um manifesto brilhante
Raro de se ver na gente
Brilha mais que diamante
E chega a ser indecente
Mas quem o evita bastante
Torna-se competente
Se esquiva do errante
Trabalha a boa mente
É considerado o bastante
Em causa pertinente
E pra ser menos falante
Que um mudo doente
Eu digo que perante
O coração dormente
Não há coisa mais brochante
Em uma situação comovente
Onde o cara que era amante
Hoje se vê incompetente
Não suficiente o bastante
Ainda vê que pela frente
Tem muita coisa importante
Que só sendo sobrevivente
Desse jogo militante
Visceral à carne latente
Por o fim por um instante
Que é pro bem da gente
Ninguem sair ofegante
Por se tratar do ausente
Que é pra ver se durante
O momento antes vigente
Foi guardado em alguma estante
Ou esquecido para sempre
A alegria que era dançante
Hoje, intocável aparente.

Renato Moss

14 março 2007

Soneto da Esperança


Infeliz o homem que não a conhece
É certo, finda-se rápido o inatingível
É triste, nem sequer a dor adormece
E de fato se torna potente o impossível

Essa é que amortece a tortura
Nos poentes, ela é que ilumina,
E nas odisséias que fervilham o sangue
Por bem traz consigo toda a calmaria

Quando conosco dita frases sem sentido,
Um certo conforto para os sedentos de objetivos
Para uns, ouro de tolo; outros, princípios

E no final latente, se é que tem sido proeminente
Quem deveras esteve contente, com o intocavel aparente
Há de merecer não só a dáviva, mas da esperança, o presente.


Renato Moss

11 março 2007

Pensamento...

Onde?

Seria a definição correta de lugar,
Um local físico de sentido palpável
Ter como chegar seria perfeito
Mas não ter como ir é lamentável

Que de sonhos se faça o sentido da vida
E que a Vida, se resuma em um lugar
Não Importa em quais lugares sejam
Mas quem nos sonhos sempre está

Ter alguém sempre a espera,
É sentir firmeza na saudade,
É doer o corpo da mesma forma
Que dói a palavra realidade...

Mas onde há firmeza da vontade
Aquém da imaginação, não é fantasia
É de bater no peito e sentir orgulho
Que nesse lugar chegarei um dia...

Renato Moss


09 março 2007

Hellwalker

Todos nós temos um "hellwalker" adormecido, talvez escondido por detrás dessa nossa carapaça, que usamos como desculpa para disfarçar que somos tao primitivos o quanto tanto os nossos instintos nos regem, e isso não é uma coisa ruim, não pelo meu ponto de vista...

dessa forma acambamos conhecendo os nossos limites, limites esses... que nao temos! Mas o que é, e como ser um "hellwalker", pela grafia da palavra diz-se "aquele que caminha sob o inferno" e esse sou eu, somos nós, sois vós e são eles, todos, a diferença está em: se você sabe onde é o inferno, aliás, não podemos resumir o inferno como um lugar, ele é adimensional... pode ser um "quando, onde, como..." é preciso um olhar sagaz pra se desvincilhar das peças pregadas por esse jogo, e pisar em cima... pisoteiar mesmo....




É preciso experiencia até se tornar um Hellwalker de respeito, quanto você têm? olhe ao seu redor, e tente não ver as coisas como elas são, e sim o essas coisas fazem ali, troque o verbo ser do estar, dessa maneira você passa a não aceitar com simplicidade o comodismo, e começa a se perguntar o porquê dele, pra quê? se é descartável, então se desfaça, se é útil, então dê mais valor...

Hellwalker, para muitos que talvez tenham essa dúvida, é um adjetivo laico, é como uma patente que lhe difere dos outros homens animais, mas, infelizmente não é pra quem quer, não adianta tentar caminhar pelo inferno que você não vai encontrá-lo... pelo contrário, já estamos nele, o que posso dizer é, tente achar a saída e observe do lado de fora, só que muitos tentarão encontrar a saída em vão, ja outros, a saída que encontra-lo-ão...

Savage Mossyer Hellwalker