06 abril 2010

Pra você (Quem?)






Pra você que é merecedora de mim..
É que ainda guardo o melhor do meu mel
Por você que eu temo não existir.
É quem procuro quando olho pro céu

Nas minhas fingidas aventuras noturnas,
Na minha fracassada eterna busca do ser
Nos meus devaneios mais que perfeitos
Não sou eu quem quero encontrar, é você!

E assim, com a mesquinha fé que me resta.
Ainda teimo por insistência e não por afeto,
É que aprendi a me virar sozinho, ora bolas!
Com tantas "você", de tanto achar que te encontrei...

Mas o estranho, é que não escrevo por carência.
Nem mesmo por essa físico-quimica dependência.
É por não conseguir entender, como todo mundo têm,
E eu nunca conseguir achar alguém, pra ser você...

Nenhum comentário: