19 maio 2010

Dos Olhos Teus


No meu tímido disfarce, fingi não notar sua presença,
Mas da minha súbita insistência em fitar os olhos teus
Me foi revelado algo incontestável, peço: acredite apenas...

É que não sei dizer de outra forma senão com as palavras,
Ora abstratas - porém sem máscaras - uma mera confissão,
De que teu olhar teve sobre mim um certo efeito: Sedução.

Observei-a desde o momento em que se fez presente,
Da tua boca, entrevi além de seus sorrisos contentes.
Mas não pude evitar, olhava-te, mas não com a visão,
E quando assim o era, me tomava uma sublime sensação...

Sensação estranha, um pouco peculiar. um sentido? Paladar!
Eram os olhos teus fonte de tanto poder, como pode ser?
Eram os seus lábios, o alvo do meu querer, satisfazer?
Talvez, mas sem nenhuma prentenção, cabe ao acaso resolver...