28 junho 2010

À Ninguém





O grande amor da minha vida chama-se Ninguém,
Ninguém sabe como me fazer feliz
Ninguém me ama como nunca fui amado
Ninguém sabe ser minha companheira,
E só Ninguém me entende completamente

Por Ninguém eu iria até o fim do mundo,
E eu nunca trairia Ninguém
Seria eternamente fiel à Ninguém.

Ontem eu sonhei com Ninguém,
Cantei pra Ninguém, sorri pra Ninguém
E assim como hoje, escrevo sempre pra Ninguém

E é por isso que me sinto realizado com Ninguém,
É tão bom acordar cedo e ouvir a voz de Ninguém,
Tomar café da manhã com Ninguém
É perfeito, surreal e sublime amar Ninguém

Mas sei que nada é perfeito,
Por isso temo machucar Ninguém
Mas também sei que Ninguém será bem compreensiva
Se algum dia eu errar, magoar e trocar ela por Alguém, Quem?