25 julho 2010

Quês em Demasio






Que durante o sono, sonhastes,
Conquanto que não acordes num súbito:
- Incoerente pensamento perdido num ser
Diferente - Sejais, minuciosamente sejais...

Afora, Mundo eufórico por teus hábitos,
Mascarados, por teus falhos, sucumbidos fardos
Quê fazer? Oh não! quê fazer? seja são, em vão...

Vão por ai dizer, aclamar por tuas proezas,
Serás tu? ao fim de todo trajeto, dono do concreto?
Serás tu? fruto dos teus apegos e crônicos desafetos?

Quê se sabe de tua natureza, senão incertezas?
Porém, basta por instantes, de vidas errantes..
E chegue, mesmo miseravelmente e não reclame.

Nenhum comentário: